Paripe.net

Centro retoma atendimento presencial a pessoas com deficiência no Subúrbio

Imagem Responsiva


As 392 pessoas com deficiência física e intelectual atendidas no Centro Especializado de Reabilitação (CER), que funciona no Subúrbio 360, em Coutos, já voltaram a ter atendimento presencial na unidade. A ação ocorre após decreto da Prefeitura e segue os protocolos de segurança exigidos. Desde março, quando foi iniciado o isolamento social devido à pandemia do novo coronavírus, o acompanhamento dos pacientes estava sendo realizado via teleatendimento.

Para a retomada, a unidade passou a trabalhar 30% da capacidade. Os pacientes que voltaram a fazer o acompanhamento presencial são apenas os que não fazem parte de grupo de risco do coronavírus. Os atendimentos são individuais, permitindo apenas um acompanhante, que não faça da parte dos grupos de risco e utilizando máscara. Para os demais pacientes, o atendimento continua sendo à distância, considerado pela equipe um sucesso durante o período mais forte de isolamento social.

Atenção – Pai do paciente Gabriel, Cícero Roberto Silva disse que é essencial o retorno do atendimento presencial para a rotina do filho. “Ele sabe que, todas as semanas, tem o dia certo para o acompanhamento. Tirá-lo da rotina é mais complicado pra ele voltar à normalidade”, relatou.

Ele também parabenizou a equipe do CER durante a pandemia. “O pessoal foi muito atencioso com a gente. Toda semana ligava, se tivesse precisando de receita médica, poderia vir buscar. Em momento algum a gente deixou de ser assistido”, complementou Silva.

O diretor da Unidade de Políticas Públicas para Pessoa com Deficiência (UPCD), Wagner Andrade, destacou a importância da retomada. “É uma retomada parcial, mas que é importante para que as pessoas com deficiência não tenham uma perda no atendimento. São tratamentos de médio e longo prazo que, caso fossem totalmente interrompidos, as pessoas acabariam perdendo conquistas que tiveram durante o processo”, explicou.

Estrutura – Inaugurado pela Prefeitura em janeiro de 2019, o CER é voltado a moradores da região do Subúrbio, que têm acesso ao tratamento mais perto de casa, evitando o tradicional deslocamento até o Centro da cidade. O serviço, especializado em sequelas de traumas, possui estrutura adaptada para receber pessoas com deficiência intelectual leve, moderada e Transtornos do Espectro Autista (TEA).

As atividades realizadas no equipamento de saúde são integradas com diversas especialidades. Conta com a presença de enfermeiros, nutricionistas, assistentes sociais, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, psicólogos, além de médicos neurologista, ortopedista e gastroenterologista.

O serviço oferecido em parceria com a Apae, instituição gestora do CER, ainda dispõe de sala de integração sensorial, ginásio infantil e de adulto. O espaço possui objetos projetados para estimular visão, audição, paladar, olfato, equilíbrio e movimento corporal, através da manipulação de itens com segurança e criatividade.

O acesso ao centro especializado ocorre por intermédio das unidades básicas de saúde do município, que encaminham os pacientes de acordo com o perfil necessário para o atendimento. No CER, o paciente passa por avaliação com um grupo operacional, somadas a outras mais específicas. Após essas etapas, é elaborado um Projeto Terapêutico Singular (PTS), no qual são definidos atividades, circuitos de atendimento e periodicidade das terapias.