Paripe.net

Crianças e jovens vítimas de abusos se recuperam e ajudam outras em Paripe

Imagem Responsiva
Imagem Responsiva


Crianças e jovens vítimas de abusos se recuperam e ajudam outras em Paripe
Foto: Reprodução

Localizado no bairro de Paripe, em Tubarão, o Lar Pérolas de Cristo abriga mais de 100 crianças e adolescentes em situação de vulnerabilidade social. O trabalho conta com apoio financeiro da Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Promoção Social e Combate à Pobreza (Semps), e, ao longo dos seus 21 anos de existência, tem se tornado uma referência para toda região do Subúrbio Ferroviário. Jovens que já foram acolhidas pelo projeto agora atuam como funcionárias e, com sua experiência, ajudam a cuidar e recuperar a autoestima de quem vive no local.


Vera Lúcia Guimarães é a fundadora e principal dirigente do Lar Pérolas de Cristo. Ela explica que foi o espaço criado em setembro de 1993 para oferecer acolhimento provisório para crianças e adolescentes afastados do convívio familiar por meio de medida protetiva, por terem vivenciado situações de violência física, psicológica ou sexual. Eles são encaminhados pelos conselhos tutelares, Ministério Público e Juizado da Infância da Juventude.


“Hoje, grande parte das crianças que chegam até nós são filhos de usuários de substâncias psicoativas, como crack e álcool. Muitas das crianças, especialmente bebês, chegam em grande estágio de desnutrição e precisam de muitos cuidados e afeto para se recuperarem”, diz Vera, que é tratada como a mãe de todos que vivem no lar.


Na entidade, além de a atenção e carinho, os acolhidos passam a contar com segurança física, psicológica e condições dignas de moradia e alimentação. Lá, eles contam com o trabalho realizado por profissionais como assistente social, psicóloga, pedagoga, professora, auxiliar de enfermagem, recreador e das mães sociais, responsáveis por cuidar de cada unidade onde as crianças e jovens moram divididos por sexo e faixa etária, garantindo que suas necessidades sejam atendidas.


Uma das mães sociais é Kelly Vitória Marinho, de 19 anos. Ela chegou ao abrigo aos 15 anos, depois de enfrentar uma série de problemas familiares, fuga de casa e crise de depressão. Internada após uma tentativa de suicídio, ela foi encaminhada para o Lar Pérola de Cristo e diz que, a partir daí, sua vida começou a mudar. “Aqui eu retomei a direção da minha. Já fiz vários cursos e aprendi muito convivendo com as pessoas que trabalham conosco. Hoje, posso passar minha experiência e ajudar a quem chega na casa em situação semelhante ao que vivia”, revela Kelly, cujo maior sonho é ter sua própria casa.


Outra ex-abrigada que também atua como mãe social é Zenaide Souza, que chegou abrigo aos 15 anos, com o filho recém-nascido, depois do assassinado do marido. Por temer o mesmo fim, ela acabou aceitando a ajuda da instituição. “Já me meti em muito problema, mas desde que vim morar aqui minha vida se transformou. Nem parece eu sou a mesma pessoa de antes quatros anos atrás”, afirma Zenaide.


Os recursos repassados pela Semps e outras instituições públicas é usado para alimentação, materiais de limpeza e higiene, remuneração de profissionais, fornecimento de água, energia, serviços de telefonia, internet e deslocamento. O secretário Henrique Trindade ressalta que os recursos auxiliam a instituição a atender seus compromissos e prestar ajuda a dezenas de crianças e jovens desamparados. “O trabalho do Lar Perolas de Cristo é excepcional e manter os repasses de todas elas em dia tem sido uma preocupação constante do prefeito ACM Neto e da nossa secretaria, por extensão”, explica Trindade, lembrando que o convênio com o Lar Pérolas de Cristo vai até o final do ano de 2015.