Paripe.net

Marcha evangélica no Subúrbio pede por Paz na Família

Imagem Responsiva
Imagem Responsiva


Marcha evangélica no Subúrbio pede por Paz na Família
Foto: Reprodução

Cristãos de diversas igrejas evangélicas se reuniram ontem (24), no subúrbio ferroviário, em Salvador, em nome da “Marcha Pela Paz na Família”. Cerca de 500 pessoas caminharam juntas com o objetivo de pedir paz e de orientar a comunidade sobre a melhor forma de lidar com os problemas causados pela condição de vida do local. “São cerca de 15 igrejas evangélicas, entre elas a assembleia de Deus e a Batista.


O nosso objetivo é informar a comunidade como eles podem resolver alguns problemas, entre eles, as drogas, o alcoolismo, a pedofilia, a violência domestica, são fatores que tem trazido inúmeras complicações para o seio da família, por conta disso, nos reunimos para mostrar, que essa paz na família pode ser encontrada, em Jesus Cristo, mas também com a ajuda de inúmeros órgãos de proteção que passamos para eles,” explicou o pastor Antonio, responsável pela caminhada.


De acordo com Antonio, a orientação vai além de uma pregação, mas presta, realmente um serviço de informação, ao mostrar para as pessoas que existem formas de sair daquela situação que se encontram. “Informamos para as pessoas a existência de programas de ajuda e de orientação como o  Centro de Defesa da Criança e do Adolescente Yves de Roussan (Cedeca/Bahia), que é uma organização sem fins lucrativos que desenvolve um trabalho que contribui para a proteção de crianças e adolescentes em situações como violências sexuais, crimes de homicídio, violência física e violação dos direitos. Além disso, falamos sobre alguns centros de recuperação para dependentes químicos. Sobre a questão jurídica, delegacias, os conselhos tutelares, entre outros,” disse.


A caminhada teve início na rua Nilton Lopes, final de linha do Alto da Terezinha, seguindo pela rua Getúlio Vargas, Rua Direta do Rio Sena, e foi finalizada no Largo da Rua Boa Vista. Segundo o pastor, todo o percurso foi definido a partir do que eles consideravam os locais mais críticos e com maior numero de vitimas da violência.  “Estamos no subúrbio ferroviário e aqui a violência é bem maior. Existem diversos fatores sociais que proporcionam isso,  ou seja, a desigualdade social é muito grande. Aqui a criminalidade, o acesso as drogas, o trafico, a violência, o alcoolismo,tem destruído as famílias que moram por aqui. Por isso, todos os locais que escolhemos passar são cenários de destruição feita por esses problemas,” finalizou Antonio.


Por conta da “Marcha Pela Paz na Família,” o trânsito teve que sofrer alterações nesse domingo(24). De acordo com a  Transalvador, as vias alteradas foram nas regiões do Alto da Terezinha, Rio Sena e Ilha Amarela.