Paripe.net

Radares estáticos ganham nova identificação em Salvador



Radares estáticos ganham nova identificação em Salvador
Foto: Jefferson Peixoto / Agecom

A partir deste mês de abril, os motoristas que trafegam em Salvador vão encontrar os radares estáticos com uma nova identificação. O equipamento, que é operado de forma remota, ou seja, sem a necessidade presencial do agente, passa a estar abrigado em uma cabine na cor laranja, sendo facilmente visualizado pelos condutores. O radar estático é utilizado para aferição do controle de velocidade de vias, podendo ser instalado em outros locais em esquema rotativo.


De acordo com o superintendente de Trânsito de Salvador (Transalvador), Fabrizzio Muller, a medida visa também a proteção do radar estático. “Por estar posicionado apenas sob um tripé, o equipamento fica sujeito a situações que possam atrapalhar a aferição, como uma forte chuva ou até mesmo atos de vandalismo. Decidimos então pela utilização de uma cabine em aço inox reforçado, antivandalismo, que está sendo instalado em todos os pontos de utilização do radar estático utilizados pela Transalvador. Além disso, para facilitar a visualização e identificação pelos motoristas, essa cabine está na cor laranja, que chama bem a atenção do condutor”, salienta.


A cidade possui 117 pontos de radares estáticos, distribuídos estrategicamente em vias com maior fluxo de veículos, maior número de acidentes ou maior número de situações de desrespeito às leis do trânsito, dentre outras características. Dentre esses locais estão as avenidas Manoel Dias da Silva, Luis Viana (Paralela), Afrânio Peixoto (Suburbana), Mário Leal Ferreira (Bonocô), Dorival Caymmi (Itapuã) e Vasco da Gama. A lista completa de locais dos radares estáticos pode ser acessada no site www.transalvador.salvador.ba.gov.br.


Radares contribuem para queda de índice de mortes no trânsito


Um levantamento da Transalvador aponta que o índice de mortes por acidentes de trânsito caiu 23,10 % em Salvador entre 2011 e 2015. O número, em 2011, foi de 238, tendo sofrido aumento no ano seguinte, quando 247 mortes foram registradas. Na atual gestão, iniciada em 2013, gradativamente este índice tem sido reduzido, passando a 221 mortos em 2013, 189 em 2014 e 183 em 2015.


O superintendente Fabrizzio Muller destaca o aprimoramento da fiscalização eletrônica como um dos mais importantes investimentos para a redução do índice. “Os radares são nossos parceiros na busca por preservar vidas, não temos dúvida disso”, declarou. Em 2015, mais de 356 mil condutores foram notificados por excesso de velocidade em Salvador. “Esta infração é apontada como uma das que mais ocasionam acidentes fatais”, disse.


O monitoramento é permanente. Hoje, as 35 vias mais perigosas da capital são dotadas de mais de 180 equipamentos de fiscalização eletrônica. “Essa fiscalização está sendo estendida também a bairros populosos”, frisou Muller.