Paripe.net

CEU Valéria retoma atividades com grande procura por práticas esportivas

Imagem Responsiva
Imagem Responsiva
Imagem Responsiva
Imagem Responsiva


A retomada das atividades no Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU), localizado em Valéria, tem sido de muito movimento na unidade, que oferece diversas modalidades, a exemplo de jiu jitsu, capoeira e ballet. Nesta quarta-feira (28), crianças e adolescentes que participam dessas aulas aproveitaram para matar a saudade do local, que foi fechado em razão da pandemia da Covid-19, em março de 2020.

O coordenador do espaço, Délio Lima, afirmou que a procura tem sido grande após a retomada, e que a unidade está seguindo todos os protocolos contra o coronavírus, com uso de máscara, aferição da temperatura, distanciamento social com apenas 20 alunos por sala, e com dispensadores de álcool em gel espalhados por todo o CEU. "A nossa vontade era ter retornado há muito tempo. A comunidade tem procurado muito o equipamento, e graças à diminuição de casos estamos voltando aos poucos", disse.

Hoje, o CEU Valéria conta com dez oficinas ativas, e alguns horários foram remanejados para às 6h e 18h por um pedido da comunidade, com aulas de aeroboxe e boxe, que têm uma grande procura. Essa alta demanda, segundo Lima, é motivada também pela Olimpíada de Tóquio, em andamento. Muitos alunos, inclusive, já estão no aquecimento para a edição soteropolitana do evento, que acontecerá no espaço no início de setembro.

Integração – O gestor lembra que o CEU não é só arte e esporte, mas traz também esperança para as pessoas, já que as atividades vão além das técnicas ensinadas, ocupando a mente dos meninos. Em breve, a unidade contará também com aulas de pilates para a terceira idade, e um coral de idosos está em planejamento por agentes do Centro de Referência da Assistência Social (Cras), localizado no espaço. "A ideia é alcançar todos os públicos, porque o CEU faz essa integração, e queremos sim que o equipamento seja ocupado por moradores do entorno".

A coordenadora de Equipamentos, vinculada à Diretoria de Esporte e Lazer da Secretaria Municipal de Promoção Social de Combate à Pobreza, Esporte e Lazer (Sempre), Petruska Araújo, ressaltou que as ações da Olimpíada do CEU, que está por vir, são um marco da retomada. Para ela, o retorno é fundamental para uma comunidade com índice grande de violência, pois oferece uma gama de serviços esportivos para jovens com uma realidade mais dura, tornando-o um potencializador de sonhos.

"Com disciplina e convivência em grupo, o jovem pode vir a pensar em ser um atleta, e é vital para o equilíbrio, harmonia e pacificação da comunidade onde ele está inserido". A coordenadora lembra uma frase que usa muito para falar do espaço, que quando instalado em uma comunidade, traz possibilidade de sonhos. "Todos a serviço de um bem comum: aprender a sonhar juntos".

Atividades – Aos 16 anos de idade, Ian de Almeida é bailarino, aluno e voluntário do CEU. Para ele, o espaço representa mais do que apenas um espaço cultural, mas uma família, a construção de um sonho. Ele confessa que não tinha um equipamento como esse antes na comunidade – o CEU conta ainda com um Espaço Boca de Brasa, vinculado à Fundação Gregório de Mattos (FGM), que faz com que ele se sinta artista, o que é gratificante. "Eu vim pra cá à procura de dança, mas me inscrevi no teatro e descobri outro mundo. Através disso, eu quis me envolver mais no universo da cultura e arte e optei pela dança, que eu amo desde pequeno. Fui atrás do meu sonho, comecei a treinar, trouxe um grupo de dança pra cá e tem sido bem legal esse convívio", comentou o jovem. 

Também com 16 anos, Carlos Alejandro Souza pratica jiu-jitsu há dois anos no local e confessou que estava sentindo falta das atividades. "Esse retorno é bom, ajuda a comunidade e traz oportunidades para as crianças. Eu apoio, porque o esporte para mim é uma questão pessoal, de princípio e objetivo".

O CEU Valéria promove, ainda, aulas de dança, boxe, aeroboxe, aerohit, basquete, vôlei e ginástica rítmica. Aos sábados, acontece um aulão que engloba aeroboxe, aerohit e zumba.

Estrutura – Construído em uma área de 7 mil m², o CEU de Valéria possui um ginásio coberto, com capacidade para 200 pessoas. Além disso, abriga pista de skate, cine-teatro, salas multiuso, parque de recreação, biblioteca e uma unidade do Cras. Todas as atividades desempenhadas pela comunidade no Centro visam contribuir para alcançar melhorias no Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da região, uma das mais carentes da cidade.