Paripe.net

Leo Prates homologa concurso da Câmara



Em um ato realizado no Plenário Cosme de Farias, na tarde desta segunda-feira (15), o vereador e presidente Leo Prates (DEM) homologou o concurso público da Câmara Municipal de Salvador. A cerimônia contou com a presença de vereadores, assessores legislativos, diretores da Casa e representantes da Fundação Getúlio Vargas (FGV), entidade responsável pelas provas.
 
A homologação do certame e a lista dos aprovados será publicada no Diário Oficial do Legislativo Municipal desta terça-feira (16), com expectativa de convocação dos aprovados entre dezembro deste ano e janeiro de 2019. Conforme o edital, 60 aprovados serão convocados. Outras 100 vagas preenchem o cadastro reserva. 

O processo seletivo contou com um total de 47.546 inscritos. Ao todo, 6.835 foram aprovados. Destes, 163 candidatos negros e 113 pessoas com necessidades especiais foram aprovados. Um total de 12.506 pessoas não fizeram a prova.      
Submetidos à análise da Comissão Especial de Verificação de Autodeclaração (CEVA), 163 negros foram aprovados. 

Satisfeito com o resultado do concurso, o presidente da Câmara exaltou a transparência do processo seletivo e a parceria com o Ministério Público. “Fizemos nosso melhor”, afirmou Leo Prates.

Segundo a controladora da Casa, Caroline Mendes, a principal característica do processo foi o cuidado com a transparência. “Desde o início o presidente Leo Prates chamou a atenção para este quesito e, com certeza, o apoio do MP foi fundamental para o resultado final”, destacou.   

Comissão especial

Leo Prates ainda destacou o trabalho realizado pelos vereadores Suíca e Moisés Rocha, do PT, e do assessor Leonardo Silva, na condução da CEVA, que, segundo ele, tornou-se referência nacional. “A Comissão de Verificação é a primeira do Brasil, que está sendo indicada para todas as casas legislativas como uma sugestão para verificação das cotas”, frisou Leo.

Durante a sessão ordinária, após o ato de homologação, alguns vereadores parabenizaram e enalteceram o feito. Para Marta Rodrigues (PT), líder da oposição, a reserva de 30% para cotistas “é fruto da luta do povo negro”. Já Edvaldo Brito (PSD) disse estar “satisfeito ao ver respeitado o espaço para as cotas”.  “Garantir esta homologação é um passo para que esta cidade avance”, opinou Sílvio Humberto (PSB).
 
Presidente da Comissão de Reparação, o vereador Moisés Rocha reconheceu o empenho de Leo Prates. “Parabenizo ele por entender a importância em fazer política de reparação”, pontuou.